domingo, 28 de março de 2010

A lenda dos Hebreus

Tenho o hábito de ler a Bíblia em meio a outros temas como evolucionismo, ciência e história. Através da leitura do manuscrito do Mar Morto, passei a entender a história dos Hebreus, que para mim tem tanta importância quanto a lenda dos Nibelungos ou as Valquírias.
Os Hebreus eram nômades, habitavam as montanhas e os desertos às margens do Crescente Fértil (Vale do Nilo). Eram coletores e caçadores, cultivavam agricultura de ciclo curto, cuidavam de animais e o couro era de suma importância para sua proteção e vestuário. Eram orgulhosos mas pacíficos, adotavam a escravidão mas não aceitavam seu jugo. Eram polígamos mas celebravam o casamento e enterravam seus mortos em cavernas. Seus mitos e lendas eram transmitidos, de geração para geração, através da autoridade de seus anciãos por desconhecerem a escrita. Por serem uma miscigenação de excluídos, eram apátridas e não conheciam suas origens. Quando desciam para os vales,eram hostilizados ou facilmente escravizados.
Há 4.000 ou 5.000 anos, na época da construção das pirâmides, já era substancialmente grande o número de Hebreus escravizados pela dinastia dos Faraós. Segregados, humilhados e torturados, alimentavam a esperança de um iluminado porvir.
Alguns já dominavam a escrita e começaram a construir sua própria história. Criaram uma genealogia descendente de um Deus único com seus Reis, rainhas, profetas, mitos, lendas, direitos e deveres. Descendiam com exclusividade de um ser que era, também, o criador do seu próprio universo e fomentaram esta crença com doações altruístas. A sociedade dos Hebreus passou a funcionar através de conceitos morais.
Uma bela história, não fosse pela intromissão de Constantino (O grande).

Você sabe o que é HOMEOPUNTURA?

É o ato de misturar homeopatia com acupuntura. Estratégia de tratamento que está, lentamente, entrando nas clínicas do mundo todo. Sua técnica consiste em mergulhar as agulhas da acupuntura em remédios homeopáticos antes da sua inserção.
A homeopuntura aparenta ser apenas uma maneira de “injetar” remédios homeopáticos através da acupuntura, contradizendo a idéia do inventor da homeopatia que seus medicamentos eram ministrados somente por via oral.
Por um lado, o bom; irá diminuir o nível de infecção por acupuntura se o diluente usado for o álcool. Por outro, o ruim; como os remédios homeopáticos não são preparados em condições estéreis, fervam os que forem à base de água e coloque as agulhas dentro.
Homeopatia não funciona, acupuntura não funciona e os dois juntos, muito menos. Homeopuntura? Eu héin! He,he,he...