quinta-feira, 1 de setembro de 2016

A Aritmética do nada.

O governo petista de 2010 a 2016 marcou uma época em que nada foi produzido de positivo. Foi um zero à esquerda, um vácuo.
Suponhamos que o zero represente o nada. Na matemática é impossível chegar a 1 somando zeros. Somem todos os zeros imagináveis e nada teremos de positivo. Para os gregos e romanos a ideia de zero era inconcebível. Um nada não poderia representar alguma coisa. Ao ser inventado o sistema de contabilidade por partida dobrada, na Itália, por volta de 1340, o zero passou a ser encarado como a divisória entre créditos e débitos. Uma das teorias é que o zero vem da primeira letra da palavra grega "oudem"(nada). Uma mais delirante afirma que sua forma deriva da marca circular deixada na areia por uma estaca usada para contar.... A presença de uma ausência
Quando criança eu era intrigado com uma curiosidade chamada "conjunto vazio" que era representada por um colchete fechado sem nada dentro. Trata-se de um conjunto sem membros, como por exemplo, o que representa mulheres presidentes dos EUA. Ele é convencionalmente representado pelo símbolo {}.
Um dos maiores matemáticos do século XIX, Richard Dedekind considerava o conjunto vazio apenas uma ficção conveniente. Mais recentemente, um cientista americano, David K. Lewis destacou o conjunto vazio como um indivíduo especial com um traço de nada dele. Será que o conjunto vazio existe?... Pode haver algo cuja essência é abranger o nada? Na matemática ela é dada por certo. Sua existência pode ser provada pelos axiomas da teoria dos conjuntos.
Sejamos metafisicamente liberais. Ainda que haja apenas o nada, há um conjunto que o contém. Uma entidade governamental denominada Dilma representada por um conjunto vazio com o símbolo do nada dentro.