domingo, 26 de junho de 2011

A Sabedoria da natureza


Alguns ambientalistas pregam a conservação e a proteção ambiental. São vegetarianos, naturalistas, combatem o desperdício hídrico, florestal e a degradação ambiental. Tudo bem!  Mas até agora, nenhum deles apresentou solução viável para harmonizar o crescimento populacional com a preservação ambiental. Ou neutralizar este crescimento para preservar o que sobra do ambiente. Járed Diamond em seu livro ARMAS, GERMES E AÇO, mostra como isto evoluiu e em seu livro COLÁPSO, mostra como será o desfecho. Também não deu solução.
Somos 7 bilhões de pessoas para comer, beber e sobreviver às custas da natureza em detrimento a sua conservação. Como vamos produzir alimentos sem degradação ambiental e como vamos extinguir a fome no mundo?  A água não é um produto natural renovável, como vamos gerenciar este provento? Imitando a sábia natureza?  Ela nos ensina  como preservar até a nossa espécie. Como exemplo:...
O Gavião Real, (Harpia Harpyja) é uma imponente ave de rapina que habita as grandes florestas da América do Sul e Central. Apesar de ser de grande porte e não possuir predador natural, sua sobrevivência é muito frágil em seu habitat. A fêmea deposita no ninho, de 1 a 2 ovos e caso ambos sejam incubados com sucesso em condições naturais, somente o primogênito sobrevive. Já que o filhote maior (primogênito) invariavelmente mata o filhote menor empurrando-o do ninho por ser mais fraco. Dá-se a isto o nome de Cainismo e é comum a outras espécies de animais. É a lei da sobrevivência ou seleção natural.
Por quê não aprendemos com a sabedoria milenar da natureza? Por quê não erradicamos a miséria em sua formação infertilizando o pária?  Por quê não adotamos a pena de morte para extirpar da sociedade aqueles que não se adéquam a ela?  Prender é uma solução social mas para a natureza este preso parasita continua causando desperdício. Por quê não eliminamos os improdutivos ao invés de sustentá-los? Será que o índio tem maior sabedoria que nós?
Se não agirmos rápido para solucionar a comunhão da nossa existência com a natureza, ela se incumbirá em fazê-lo, se é que já não começou. Gays e lésbicas não se reproduzem, são híbridos. Pensem nisto...