segunda-feira, 18 de julho de 2011

Misantropia

Eventos climáticos extremos como enchentes, secas, tornados, ondas de calor e de frio, tsunamis têm aumentado em freqüência e intensidade em todo o mundo. Eventos extremos são aquelas ocorrências que ficam 10% acima ou abaixo de uma variável particular.
Um volume de chuva inferior a 10% da média configura uma seca severa, ou 90% acima resulta numa enchente histórica. É exatamente nestes extremos que se dá o impacto com perdas de vida humana e danos à propriedades. Os extremos estão ficando mais extremos.
Só nos EUA, de janeiro a junho o NWS (National Weather Service) contabilizou 1.238 tornados enquanto a média anual até esta data é de 688. No dia 22/05 um tornado com ventos atingindo 300km/h ceifou a vida de 132 pessoas causando uma destruição jamais vista. Foi o tornado mais letal desde 1947. Até 01/06 os EUA já haviam contabilizado 520 vítimas letais de tornados.
Os recordes também acontecem em outras partes do mundo. Moscou nunca havia passado um dia tão quente quanto em 29/07/2010, quando seus termômetros atingiram 39°C. O verão japonês de 2011 foi o mais quente registrado na história. Com temperaturas acima de 30°C, morreram 170 pessoas e 54 mil passaram por hospitais em conseqüência do calor.
Em janeiro de 2011, uma chuva de 300mm durante 24 horas causou o maior desastre climático na região serrana do Rio de Janeiro  matando 916 pessoas e deixando 345 desaparecidas. No Paquistão, uma chuva de 305mm durante 36 horas causou a morte de 1.975 pessoas sendo o maior desastre natural da história do país.
O terremoto de Sumatra-Andamam causou o tsunami do Oceano Índico, o tsunami do sul da Ásia e o tsunami da Indonésia em 26/12/2004, matando 230.000 pessoas em 14 países diferentes banhados pelo Oceano Índico. No Chile, 500 pessoas foram mortas e mais de 20.000 foram deixadas desabrigadas em conseqüência de um terremoto no dia 27/02/2010.
No dia 11/03/2011, um terremoto de magnitude 9 atingiu o Japão provocando um tsunami que destruiu várias cidades na costa nordeste do país causando mais de 1.000 vítimas letais e um prejuízo que ultrapassa os 170 bilhões de dólares. O Japão é atingido por 20% dos terremotos de magnitudes superior a 6 que acontecem em todo o planeta.
As mudanças estão acontecendo e suas medidas projetadas. Áreas afetadas pela seca : aumenta. Número de ciclones tropicais: aumenta. Incidência de elevação do nível do mar: aumenta. Temporadas quentes e ondas de calor: aumenta. Eventos de precipitação intensa: aumenta. Descongelamento dos pólos: aumenta. Os esforços mundiais no sentido de coibir a degradação ambiental e o aquecimento global existem, mas caminham a passos vagarosos demais para as necessidades do planeta.
A atmosfera do planeta já está hoje, abafada por um manto de 800 bilhões de toneladas de carbono, metano e outros gases. Eu não odeio a humanidade, não sou um misantropo. Odeio a forma como a humanidade se conduz perante a natureza que dá sustentabilidade à sua existência. Os cálculos indicam que o consumo global ultrapassou a capacidade de regeneração do planeta em 1987 quando éramos 5 bilhões de almas e se continuarmos com o ritmo atual precisaremos de dois planetas em 2050. Não é preciso conhecimento sofisticado para ver que estamos degradando de maneira insustentável a capacidade de regeneração da biodiversidade.
“E nós estamos financiando a reprodução de párias e a superlotação de presídios.”