segunda-feira, 18 de julho de 2011

Misantropia

Eventos climáticos extremos como enchentes, secas, tornados, ondas de calor e de frio, tsunamis têm aumentado em freqüência e intensidade em todo o mundo. Eventos extremos são aquelas ocorrências que ficam 10% acima ou abaixo de uma variável particular.
Um volume de chuva inferior a 10% da média configura uma seca severa, ou 90% acima resulta numa enchente histórica. É exatamente nestes extremos que se dá o impacto com perdas de vida humana e danos à propriedades. Os extremos estão ficando mais extremos.
Só nos EUA, de janeiro a junho o NWS (National Weather Service) contabilizou 1.238 tornados enquanto a média anual até esta data é de 688. No dia 22/05 um tornado com ventos atingindo 300km/h ceifou a vida de 132 pessoas causando uma destruição jamais vista. Foi o tornado mais letal desde 1947. Até 01/06 os EUA já haviam contabilizado 520 vítimas letais de tornados.
Os recordes também acontecem em outras partes do mundo. Moscou nunca havia passado um dia tão quente quanto em 29/07/2010, quando seus termômetros atingiram 39°C. O verão japonês de 2011 foi o mais quente registrado na história. Com temperaturas acima de 30°C, morreram 170 pessoas e 54 mil passaram por hospitais em conseqüência do calor.
Em janeiro de 2011, uma chuva de 300mm durante 24 horas causou o maior desastre climático na região serrana do Rio de Janeiro  matando 916 pessoas e deixando 345 desaparecidas. No Paquistão, uma chuva de 305mm durante 36 horas causou a morte de 1.975 pessoas sendo o maior desastre natural da história do país.
O terremoto de Sumatra-Andamam causou o tsunami do Oceano Índico, o tsunami do sul da Ásia e o tsunami da Indonésia em 26/12/2004, matando 230.000 pessoas em 14 países diferentes banhados pelo Oceano Índico. No Chile, 500 pessoas foram mortas e mais de 20.000 foram deixadas desabrigadas em conseqüência de um terremoto no dia 27/02/2010.
No dia 11/03/2011, um terremoto de magnitude 9 atingiu o Japão provocando um tsunami que destruiu várias cidades na costa nordeste do país causando mais de 1.000 vítimas letais e um prejuízo que ultrapassa os 170 bilhões de dólares. O Japão é atingido por 20% dos terremotos de magnitudes superior a 6 que acontecem em todo o planeta.
As mudanças estão acontecendo e suas medidas projetadas. Áreas afetadas pela seca : aumenta. Número de ciclones tropicais: aumenta. Incidência de elevação do nível do mar: aumenta. Temporadas quentes e ondas de calor: aumenta. Eventos de precipitação intensa: aumenta. Descongelamento dos pólos: aumenta. Os esforços mundiais no sentido de coibir a degradação ambiental e o aquecimento global existem, mas caminham a passos vagarosos demais para as necessidades do planeta.
A atmosfera do planeta já está hoje, abafada por um manto de 800 bilhões de toneladas de carbono, metano e outros gases. Eu não odeio a humanidade, não sou um misantropo. Odeio a forma como a humanidade se conduz perante a natureza que dá sustentabilidade à sua existência. Os cálculos indicam que o consumo global ultrapassou a capacidade de regeneração do planeta em 1987 quando éramos 5 bilhões de almas e se continuarmos com o ritmo atual precisaremos de dois planetas em 2050. Não é preciso conhecimento sofisticado para ver que estamos degradando de maneira insustentável a capacidade de regeneração da biodiversidade.
“E nós estamos financiando a reprodução de párias e a superlotação de presídios.”

18 comentários:

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Enquanto isso os profetas de plantão alegam que o fim está próximo, conforme as profecias...

Enéias

Altamirando Macedo disse...

Profecias se fossem indígenas.
Enéas, faça sua parte. Evite comer carnes, vegetais,grãos, coma só peixes e beba água do mar.He, he..

Obrigado, é bom te ver por aqui.
Abraços.

Edleuza disse...

Altamirando,

creio que a realidade é essa: somos criaturas frágeis, semelhante às outras da natureza, mas temos certa tendência inconsequente e autodestrutiva... Mas mesmo que tudo ao redor não favoreça, temos mesmo que fazer nossa parte.

Um abraço!

(Comentei seu comentário no blog, dá uma olhadinha lá, ok?)

Mariani Lima disse...

Oi, Altamirando!
Tudo bem?
Obrigada pela visita lá no blog.

Compreendi melhor lendo o seu segundo texto.
Um abraço!
Fica com Deus.

Eduardo Medeiros disse...

é mirandinha, a coisa tá preta...(ops, isso é racismo????)

tem um importante cientista brasileiro(entre outros estrangeiros) que tem dito para quem quiser ouvir que o aquecimento global é balela. na verdade o planeta estaria esfriando...

as ações humanas podem degradar o ambiente mas não seriam capazes de alterar o clima pois a mudança climática é cíclica na história da terra.

mas está claro que o mundo precisa rever todo o seu sistema produtivo, seu consumo e seus valores. enquanto ainda dá tempo. se é que dá.

eu estou fazendo a minha parte. só como carne vermelha duas vezes por semana e comsumo peixe de cativeiro.

Altamirando Macedo disse...

Mariane.

É... Para você ver que nâo sou radical nem preconceituoso. Não tenho nada contra os presos, eles estão sendo punidos pelo crime cometido contra a sociedade. Para a natureza ele é um improdutivo que causa os mesmos danos ambientais de um liberto.
Abraços e obrigado.

Altamirando Macedo disse...

Edu, meu caro.

O nome do cabra é, Luiz Carlos Molion da Universidade Federal de Alagoas. Ele afirma que a raça humana só é responsável por 3% das emissões de carbono na atmosfera e tenho notícia de alguns depoimentos seus.. Em parte eu concordo com ele quanto ao aquecimento global. Afinal, o nordeste nada sofrerá com um ou dois graus a mais de aquecimento. O que é um peido para quem já está cagado?
No texto, não me refiro a emissão de carbono como o grande e único culpado pelo colápso anunciado. Me refiro ao esgotamento dos recursos naturais, a desertificação e a extinção da biodiversidade por culpa da super população humana. O aquecimento pode ser maléfico para algumas regiões como as inter tropicais, mas poderá ser benéfico para regiões próximas dos polos. Hoje terras áridas podem se tornarem agricultáveis com o aquecimento de um ou dois graus no clima.

Edu, não é reduzindo o consumo de carne vermelha que você faz a sua parte. Para a natureza uma vaca a mais ou uma vaca a menos não faz diferênça. Quer fazer mais? Não dê esmolas. Seja a favor do controle de nstalidade, da eutanázia, do suicídio coletivo e da pena de morte. É cruel, mas e daí?
Você vai deixar que acabem com o habitat do seu neto porquê existe fome na África por reproduzirem como ratos? Porquê nossa sociedade financiou a reprodução de párias para superlotar presídios com improdutivos? Você tem culpa por viver num país que come como pinto e caga como pato? O Deus da natureza não é o mesmo de quem a destrói. Ela não perdôa, vinga com crueldade

Eduardo Medeiros disse...

suicídio coletivo?? você faria a sua parte suicidando-se ou você é indispensável para o mundo??

se toda a população brasileira comesse menos carne não seria apenas uma vaca a não fazer diferença.

Altamirando Macedo disse...

Edu, meu caro.

Sou a favor do suicídio coletivo como o proposto por Jim Jones. Os que quiserem eu aplaudo. Meu bêrço não foi um saco plástico e não tenho parentes próximos em presídios. Comer carne é menos prejudicial do que tomar café, do que gastar biocombustível atôa. A carne pode ser produzida em áreas degradadas, o café, a cana ou dendê não. Então o cidadão que se torna vegetariano com o propósito de proteger a natureza e, possui vários carros para cada membro da família andar com um, sua abstinência a carne é em vão.

Altamirando Macedo disse...

Edu,

Só a título de orientação. Conheço alguns elementos "herbívoros" que se abstêm de carne vermelha. São empregados e a empresa oferece transporte mas compraram carros só para usar com passeios. Adiquiriram o bem em 6o meses, ganham em média dois salários e gasta um com a prestaçao do cujo. Economizam na mesa parca para comprar combustível. Tem todo o direito de serem professores de economia mas não têm o direito de poluir o meio ambiente com seus corpos putrefatos vítimas de acidentes nos finais de semana.

Eduardo Medeiros disse...

eu não tenho carro. adoro andar a pé. o suicídio coletivo não resolveria nada; primeiro por que algum ditador nascido não em saco plástico teria que convencer a escória a se matar; mas como a cada segundo morrem milhões de pessoas no mundo, não sei se faria tanto efeito assim. talvez se se pudesse convencer a toda população do continente africano de suicídio, todos os imigrantes latinos e asiáticos que estão na europa e nos eua.

para resolver todos os problemas ambientais e da fome bastava que as grandes potências cortassem a zero seu orçamento em armas e manutenção de suas forças armadas por um ano e que a indústria do petróleo fosse riscada do mapa. não precisamos mais de gasolina, nem álcool e até de petróleo; já temos tecnologia para fabricarmos em série carros limpos; basta convencer os árabes. ou induzí-los ao suicídio.

Altamirando Macedo disse...

Edu meu caro,

Esta sua vontade já é uma utopia.

Em meu sonho bastaria acabar com os improdutivos de todos os paises e controlar a natalidade do restante como já fazem algumas sociedades.
No brasil era só trocar bola por um livro e um bêrço pelo saco plástico.

Elídia :) disse...

Muio bom o texto, e profundo, coisa para desenvolver outros bons.
Gostei de sua forma de se posicionar,pricipalmente em relação a sua crença (ou a falta de, rsrs) geralmente encontrava monotonia em outros que assim se declaravam.
Vc gosta mesmo de touradas? Hora dessa qnd tiver tempo falamos disso,se quiser, é claro.rsrsrs. abçs.

Altamirando Macedo disse...

Amiga Elídia.

Obrigado pela compreênsão. Não sou ateu, sou descrente convicto. He, he.
Gosto de touradas espanholas mas torço pelo touro. É meu esporte preferido para assistir e tenho como preferência El Juli, El Fandi, El Cordobés e Sebastian Costela. Pratico esportes violentos como pescaria e boliche.

Obrigado pela visita e a qualquer dia falaremos de touradas, com certeza.

Elídia :) disse...

vejo q voltaste...esperando o papo sobre as touradas, rsrs
bj

Altamirando Macedo disse...

Então...Elídia,

Você também aprecia uma tourada!
Me diga qual sua preferência, espanhola, portuguêsa, mexicana ou colombiana. Eu gosto da tourada espanhola com morte, não interessa se do touro ou do toureiro. Gosto de toureiros que dá chance ao touro como El Fandy o faz em algumas praças. Há quem critique, mas tourada é um esporte menos imbecil do que o boxe ou outras lutas ente idiotas.
Se houve outra encarnação, fui assíduo freqüentador do Coliseu.He, he, he...
Te aguardo.
Abraços.

Elídia :) disse...

Eu tenho pena dos touros, hehe, mas n vamos estragar seu tópico... O que fascina é desafio para o toureiro, é instigante...não conheço mt as outras, mais a espanhola.

Altamirando Macedo disse...

Elídia,

É o esporte. Neste final de semana 26/27/28 houve várias corridas de touros na Espanha com espetáculos nas melhores praças, Barcelona, Santarém, Sevilha, Las Ventas atc. Com ingressos a 10 euros, mas em nenhuma delas foi a vez do touro. He, he, he..
Também foi o final de semana das lutas Neandertais entre proto-humanos com vitória de Anderson Silva e Minotauro. Pena que não tenho para quem torcer. Tauromaquia é um esporte fascinante, mesmo com a violência (sublimação) do ultimo ato.
Abraços.