quinta-feira, 19 de maio de 2011

Dicotomia

No principio a igreja receava dizer que cristo instituíra um modelo de vida ao qual cada um de nos poderia aspirar. Embora isso fosse exatamente o que estava nas escrituras. Receava que esta posição desse poder demais ao indivíduo. Então perpetuou-se, a contradição. Por um lado os clérigos instigavam os fieis a buscarem em si mesmo o reino de Deus, a intuírem a vontade de Deus e a se deixarem invadir pelo espírito santo. Mas por outro lado condenavam como blasfêmia toda e qualquer discussão que tentasse esclarecer como se chegar a esses estados. Muitas vezes recorrendo a assassinatos para manter seu poder.
Os criadores destas religiões intuíram que Deus era mais que um personagem. Era uma força, uma consciência que só poderia ser encontrada em sua plenitude quando se atingia o que eles descreviam como uma experiência de iluminação. Em vez de usar a vida de Cristo como exemplo a ser seguido por cada um, a igreja ou religião constituiu sua doutrina em torno de hierarquia poderosa dos clérigos que se impunham como mediadores, concessionários do Espírito Santo para o povo.
Por que cada religião, uma forma de oração? Se Deus é um só...
Por que temos que suplicar sua ajuda ou induzi-lo a fazer alguma coisa? Se tudo foi escrito e ele é onipotente, onisciente e  etc. Sabemos o que é pecado.
 O único cancro é o pecado original que “aos olhos da igreja” o mundo parece contaminado e corrompido desde o berço.
 Este complexo de culpa cria problemas de discernimento insolúveis. Se aceitarmos sem recalcitrância poderemos atrair indulgência?
A bíblia na contem um só pensamento religioso ou moral que já não estivesse contido de uma ou de outra forma, nas sagradas escrituras, tanto de religiões mais antigas como contemporâneas: Budismo, Hinduismo, Taoísmo.
Vele a pena lembrar que se Deus criou o mundo e todas as coisas que nele existe, criou também a varíola, a lepra e a peste. Se mandou seu filho com poderes para curá-las deveria também ter-lhe dado o poder de extinguí-las.
Se Jesus curou um paralítico, porque não erradicou a paralisia infantil? Se ele curou um leproso, porque não exterminou a hanseníase? Qual foi o tamanho dessa contribuição para as gerações subseqüentes? Sabin e Carlos Chagas contribuíram bem mais.
Nenhum Deus perfeito manteria tais incongruências . Qualquer criatura que lançasse intencionalmente tais horrores sobre o mundo seria reduzida a cinzas pelos seus crimes, e não adorada.
O que é assombrosamente perverso na evolução natural é que os próprios mecanismos que criaram a incrível beleza e a diversidade do mundo vivo são também aqueles que promoveram a monstruosidade bestial. A criança que nasce sem membros, sem cérebro, cega e as espécies desaparecidas não são mais do que mero barro moldado e destruído pela mãe natureza.
Jesus prometeu a ressurreição do corpo, não uma vida eterna como consciência desencarnada. A respeito disso, seus seguidores sempre desprezam a carne. Sua crença de que estão assinalados e separados do resto da criação por terem uma alma imortal levou-os a repudiar o destino que partilham com outros animais. Eles não precisam de um propósito na vida. Uma contradição em si mesmo. O animal humano não pode passar sem um.
Para aqueles que acreditam em Deus ou numa inteligência cósmica seria blasfêmia supor que o universo foi criado sem um propósito ou plano, que a raça humana foi posta em existência simplesmente para comer, beber e divertir-se com o extravagante desperdício de recursos da terra tanto minerais quanto orgânicos. Deve haver um motivo mais nobre pelo qual a inteligência foi conferida à humanidade. Se  é  que  foi Empinas o nariz por quê? Julgas-te superior ao quê? És um arremedo de vegetal, és socialmente inferior a uma formiga e menos inteligente do que uma abelha, para a natureza um cupim é mais importante que você. Tens orgulho do quê? Destape o rabo, solte o ar da arrogância e comece a ter noções de grandezas Somos macacos nus com a pretensão de criatura divina, que por isso temos o direito de exterminar outras espécies animais ou vegetais por conveniência, antipatia ou pelo simples fato de desejar uma bolsa com seu couro ou uma sopa com sua barbatana sem conhecer sua importância para o mesmo ambiente.
Céu e terra não tem atributos e não estabelecem desigualdades. Tratam as miríades de criaturas com indiferença.
Temo, respeito e suponho existir uma energia superior que pode ser chamada Deus. O resto tem que se mover e fazer sombra.
Já me arrependi de, na infância, ter sido crédulo. Havia-me deixado arrastar pela paixão da mente de minha avó materna. A credulidade.
Creio que nos tornamos naquilo que nossos pais nos ensinaram em tempos idos, quando não se preocupavam em educar-nos. Formamo-nos por descartes de sabedoria. Não é que não acredito em nada. Não acredito é em tudo. Creio numa coisa de cada vez, e numa segunda apenas se esta de certa maneira descende da primeira. Acredito em duas coisas que não estejam juntas com a idéia de que em alguma parte deve haver uma terceira oculta que as integram. 
Procedo de maneira míope, metódico e não arrisco horizontes. A incredulidade não exclui a curiosidade, corrobora-a. Deduzo que daí nasce a inteligência.

    22 comentários:

    CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

    Muito bom. O que mais me impressiona em tudo o que existe no mundo religioso é exatamento o fato de que as pessoas instam em crer, por mais incoerente que isso possa ser.

    É como se houvesse conspiração contra o que você sugere ser o nascedouro da inteligência.

    Enéias

    Mariani Lima disse...

    Altamirando! Vc voltou!
    Que bom.
    Pensei q vc tivesse "jogado a toalha"!! Rs...
    Estava sentido falta da polêmica e do humor cheio de acidez.
    Fique com Deus.

    Altamirando Macedo disse...

    Pois é Enéias, e continuam temendo a Deus e ao Diabo em detrimento a inteligência.

    Mariane Lima,
    Não joguei a toalha, É que não tenho encontrado tempo suficiente, mas...

    Obrigado pela visita, são sempre benvindos.

    Levi Bronzeado disse...

    “ Por que cada religião, uma forma de oração? Se Deus é um só...

    Miranda

    Em O Pensamento Selvagem, Levi Strauss, dissertou sobre o fenômeno religioso entre os povos. Para ele, tanto o pensamento científico moderno quanto o pensamento mágico, mítico e religioso usam procedimentos semelhantes: observação, sistematização e classificação.

    Nessa espécie de dogmatização, surge o grande nó da questão, representado pelo deus de um que é tido como verdadeiro e o do outro que é considerado falso. Essa guerra entre “exércitos de deuses” só é travada pelo desconhecimento de que o sentimento religa-re é um só, e todo ele traz a memória de um passado que foi comum em cada clã, em cada grupo, em cada raça, em cada cultura ou em cada povo.

    Abraços,

    MIRANDA disse...

    Altamirando

    Como a Mariani também senti sua falta.
    Esse texto é espetacular e inteligente. Cada dia que passa posso refletir sobre inúmeras leituras que não eram minhas rotinas e forçar-me a pensar mais e investigar mais. Tem muitas colocações que você fez interessantes, principalmente sobre as doenças que já me perguntava há muito tempo e por que há privilégios somente de alguns para receberem a cura. Algo que não aceitava mais.
    Muito bom texto. Parabéns. Fique conosco.

    Altamirando Macedo disse...

    Sim Levi...

    Você usou o verbo no tempo certo,FOI.
    Nos aculturamos, ultapassamos barreiras, inventamos e descobrimos coisas. Descobrimos lendas de nossos antepassados que não passam de lendas, descobrimos que o trovão é um fenômeno natural, que o arco-íris não é uma aliança, descobrimos que o raio não é um castigo divino e aprendemos a voar.
    Será que não vamos deixar legado algum para a posteridade?
    Será que vamos deixar nossos netos "religar-se" ao homem das cavernas?
    Será que nem apanhando nós aprendemos?
    Cada cultura, cada clã, cada tribo e cada povo tinha um Deus. Religar-se a um deles? Qual?
    Nós temos necessidade disto?
    Qual o benefício que o Deus deles trará para nós, e o conhecimento?
    Levi, seu verbo está no passado, ainda bem...

    Altamirando Macedo disse...

    Um diz, fique com Deus. Outro diz, fique conosco.
    Como é que posso agradá-los?

    Acho que ficando bem comigo mesmo. E para isto o Miranda coopera com o polimento do ego nos adijetivos.
    É bom tê-los por perto. Tanto o Levi, quanto o Miranda.

    Mariani Lima disse...

    Altamirando, o Sr voltou em alto estilo!!
    Entre os escolhidos havia um chamado Tomé, que cria com limites e , e este não é desprezado, ele é visitado e recebe a prova requerida. Essa passagem mostra que há níveis diferentes de relacionamento com a fé em Deus.
    Muitos não acreditam também mas fingem que acreditam por medo do inferno, mas esquecem que o Deus que manda almas para o inferno no qual eles acreditam também é o que sonda os corações.
    A mente inquieta é a que busca e segundo Jesus, o que busca encontra.
    Fique com Deus!

    Altamirando Macedo disse...

    Mariani Lima,

    Eu não voltei, na verdade eu nunca fui, apenas estou postando com intervalos maiores por falta de tempo. É que me tornei garimpeiro.
    Quem sabe um dia...

    aBRAÇOS.

    Eduardo Medeiros disse...

    mirandinha, ótimas reflexões.

    você sabe, o cristianismo é uma coisa muito simples: o deus dos patriarcas judeus mandou seu filho unigênito para morrer por todos aqueles que creem; estes, devem viver lutando contra a carne e alimentando o espírito; deve viver em humildade e amor aguardando a segunda vinda do filho unigênito para levá-los para as nuvens.

    esse é o evangelho de saulo de tarso. não é o de jesus, mas o evangelho de jesus pouco cristão conhece e segue; o que vale mesmo na bíblia é a palavra inspirada e inconteste e inerrante do grande teólogo judeu que tinha cidadania romana e se gabava muito disso.

    como você disse,

    "A bíblia na contem um só pensamento religioso ou moral que já não estivesse contido de uma ou de outra forma, nas sagradas escrituras, tanto de religiões mais antigas como contemporâneas: Budismo, Hinduismo, Taoísmo."

    é isso mesmo; dá um tempo no cristianismo paulino e fala mais do tao, que é mais interessante e mais profundo.

    Eduardo Medeiros disse...

    em tempo! (como diz o confraterno doutor advogado)

    jesus mesmo disse que ele não conseguia curar nenhuma doença onde não havia fé. concluo que ele nunca curou ninguém; se alguém ficou curado pelo seu toque(o que os historiadores do jesus histórico acham consistente) foi através da sugestão da fé do doente.

    Altamirando Macedo disse...

    Edu, meu caro!

    Você acha que se existe o Deus dos judeus (dos judeus) que, inutilmente, mandou seu filho uma vez, teria coragem de repetir a proeza? Outro Paulo pode aproveitar a bobeira.
    Vou pensar no caso do Tao.
    Quem cura é a fé. A imaginação é responsável por muitos milagres. Tenha fé,não importa em quê.

    Eduardo Medeiros disse...

    "a imaginação é mais importante do que o conhecimento..." quem foi mesmo quem disse isso?

    Altamirando Macedo disse...

    Caro Edu,

    Não sei se alguem disse isto mas se disse, discordo.
    Um índio não pode imaginar uma explosâo atômica. Não pode imaginar um submarino nuclear. A imaginação depende do conhecimento, portanto não pode ser maior.

    Guiomar Barba disse...

    Edu discordo de vosmicê, Jesus curou o paralítico do tanque de Betesda, sem sequer ele soubesse quem era o homem que o estava curando. (João 5).

    Veja a cura do jovem possesso. O pai dele exclamou: ajuda-me na minha falta de fé. (Marcos 9.24. Existem outras curas em que as pessoas foram surpreendidas com elas e até mesmo ressurreição de morto como foi o caso do filho da viúva de Naim.

    Em outros casos Jesus louvava a grandiosidade da fé das pessoas e creio que Ele tinha seus motivos para não efetuar todas as curas. Ele vê a alma nós julgamos segundo a aparência dos fatos.

    Você sabe perfeitamente, que a medidicna nunca descobriu cura para a asma e a minha era crônica e eu fui literalmente curada por Deus.

    Amigo, quanto a curas, não tenho dúvidas, ví muitaaaaaas.
    Te amo.

    Guiomar Barba disse...

    Altami,sendo assim eu quero com todo meu coração, continuar sendo ignorante. O que eu vivencio no dia a dia com o Nazareno é palpável. Eu não vivo só nesta vida, aguardo a eterna.

    "Jesus Cristo veio a fim de que vissem aqueles que nada viam e que se tornassem cegos aqueles que viam. Veio para combater as doenças e deixar morrer os sadios. Veio para chamar os pecadores à penitência e à justificação e deixar de lado os que se acreditavam justos em seus pecados. Veio para encher os indignos e deixar vazios os ricos.

    (Blaiser Pascoal o matemático).

    Te quero muito.

    Altamirando Macedo disse...

    Guiomar Barba, ]

    Me perdoe, mas a afirmação acima é típica de quem nasce odiando o bem sucedido, o rico, o feliz, o sadio e o inteligente sem mesmo saber o por quê. Se Jesus existiu, ele não veio para isto. Mas... cada um com suas certezas.
    Obrigado pela visita.
    Abraços.

    GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

    Meu amigo ateu não tem nenhum motivo para me excluir, nem eu a ele, pois não somos dois fanáticos que tem dificuldade de conviver um com o outro simplesmente pelo fato de não professar a mesma fé.A um grande respeito entre nos.Uma pessoa tem o direito de professar a fé no que quiser e em quem quiser e essa pessoa e digna de todo respeito pela sua fé.

    GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

    Se o ateísmo e melhor do que o cristianismo, então seu tratamento para comigo deveria ser melhor do que o meu para com você.E pelo que estou vendo isso não esta acontecendo.Ser ateísta e uma coisa, zombar da fé alheia é outra coisa.Ou sera que isso faz parte da cultura ateísta, zombar daquilo que não acredita.Aonde fica o senso de respeito devido a cada ser humano.

    Altamirando Macedo disse...

    Eduardo Cardoso De Almeida Filho...
    Você não entendeu da missa, um têrço.
    No seu comentário na CPFG disse que tem um amigo ateu e que apesar de professarem filosofias diferentes você não o exclui. O que eu disse e continuo afirmando é que religioso algum tem motivos para discriminar ateus e na seqüecia dos comentários outros membros reiteraram minha afirmação.
    Para sua tranqüilidade, eu também respeito sua fé, respeito a fé do muçulmano, do budista, do católico, do africano com seu Deus Xangô apesar de nenhuma delas ser a minhas. Assim como você não aceita alusões pejorativas à sua fé, eu também não aceito alusões pejorativas acerca da falta da minha. O ateu não zomba da fé de ninguém, lhe sobra argumentos superiores à zombaria.
    Eduardo. você se equivocou. Primeiro descubra o que é ser ateu.
    Obrigado pela visita. Retribuirei.

    GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

    Você fugiu do argumento em pauta, você tem mais característica de humorista do que ateu.

    Altamirando Macedo disse...

    Geraldo Cardoso,

    Você não leu minha réplica e se leu não entendeu que fui curto sem ser grosseiro nem fugi da pauta.
    Percebo lhe faltar argumentos.Eu acredito nas leis da natureza, portanto não sou ateu, e não tive a intenção de te fazer rir.