domingo, 23 de dezembro de 2012

Houve Holocausto?



Em 1900, a maior parte dos judeus viviam nas regiões central e leste da Europa, especialmente na Russia e no Império Austro-Húngaro sendo minoria até mesmo nestes lugares. Muitos se vestiam de maneira característica e seu dia de veneração era o sábado, não o domingo como a maioria. Em épocas de nacionalismos, eram diferentes e costumavam  considerarem a si próprios desta maneira. Os judeus contemporâneos descendem em sua maioria de povos convertidos, originário de diversos pontos do meio oeste e da Europa Oriental. .
   Na Europa não havia outra minoria étnica com tanto sucesso nas universidades, na música, na literatura, na ciência, na medicina, no direito e nos negócios. Na Alemanha, os judeus permaneceram como uma minoria bastante reduzida. Contavam menos de um milhão mas eram bastante atuantes na política nacional, serviram nas forças armadas durante a primeira guerra mundial e contribuíram para inúmeras outras boas causas.
    Em 1925 Hitler declarou seu ódio aos judeus em seu livro “Minha luta” e de 1932 a 1938, à medida que as políticas e os discursos do governo se tornavam cada vez mais anti-semita, a maioria dos judeus deixavam a Alemanha abandonando seus bens. Nesta época os decretos de Hitler contra os judeus já estavam na ordem do dia. De acordo com tais leis, os judeus não eram considerados cidadãos alemães e seus passaportes foram carimbados com a letra J. Não tinham permissão para se casarem com alemães e às vésperas da segunda guerra mundial não podiam ter automóveis, ir ao cinema nem tampouco a lugares de entretenimento público.
   Na Itália eles eram poucos, chegando a cerca de 55 mil, porém influentes nas universidades e em algumas profissões. Em novembro de 1938, Mussolini desautorizou que participassem do serviço militar impedindo que estudassem ou lecionassem nas universidades.
   A segunda guerra mundial e os manifestos raciais que a precederam, colocou os judeus em grande risco. Por volta de 1939, sua liberdade e seu patrimônio estavam expostos. Três anos mais tarde, em 1942, era sua existência que corria perigo. Durante a Segunda Guerra Mundial ambos os lados emitiram propaganda. Isto é normal e esperado. Também é de se esperar que muita da propaganda seja exagerada ou falsa.  Os Nazistas disseram um tipo de mentira, os Anglo-americanos publicaram outra e os Soviéticos outra. Quando a guerra acabou, naturalmente, a propaganda de guerra dos Nazistas foi desmentida, mas a propaganda do lado vencedor não. Chegaram ao espantoso numero de 6.000.000 de judeus mortos através de um programa de extermínio propositado, e só nas câmaras de gás de Auschwitz teriam sido assassinados 4.400.000. Os Nazistas eram anti-semitas, consideravam os judeus sub-humanos. Apoderaram de suas riquezas e expulsaram-nos, de uma maneira ou de outra, da Alemanha. Não há dúvida que milhares de prisioneiros morreram executados por maus tratos, doença ou fome quando os campos deixaram de receber comida. Neste rol estavam homossexuais, ciganos, negros, doentes mentais e até inválidos. Afinal, o holocausto existiu?
  Segundo os registros alemães, talvez os mais confiáveis, a população judaica na Alemanha e territórios ocupados em janeiro de 1942 era de 4.536.500 judeus. Depois da guerra foram pedidas reparações de guerra contra a Alemanha por 4.384.138 judeus.
De acordo ao Comitê Judáico Americano, a população judaica mundial era de 15.688.259 em 1937. O New York Times de 22 de fevereiro de 1948, publicou que a população judaica mundial era de 15.600.000 a 18.600.000, excluindo os 650.000 que viviam na Palestina.
Se a população judaica mundial  somava 15.688.259 em 1937, perdeu 6.000.000 durante a guerra e, 3(três) anos depois era de, no mínimo 16.200.000?   Houve holocausto?
Claro que houve holocausto! Uma guerra é sempre um holocausto e a Segunda Guerra Mundial foi a mais mortífera de todas. Foram 70 milhões de mortes relacionadas diretamente com a guerra e mais de 200milhões de vidas destruídas indiretamente com ela. Vários povos sofreram terrivelmente com a guerra e o povo que mais sofreu, sujeito a genocídio, guerra bacteriológica e a todo tipo de perseguição possível, foi o povo chinês. Mas fala-se em holocausto dos chineses?... Houve um julgamento de Nuremberg para os criminosos de guerra japoneses?
Houve o holocausto da população russa, ucraniana e polaca sujeita a uma política de despovoamento do Reich de Hitler. Houve o holocausto dos civis alemães, cerca de 10 milhões. Só em Hamburgo e Bremen foram mortos por duas campanhas de terror aéreo, mais civis do que em Hiroshima e Nagasaki numa operação assassina eufemisticamente chamada de deslocação de mão-de-obra pela Royal Air Force. Houve o holocausto dos comunistas, socialistas, sociais-democratas, pacifistas e ciganos por toda a Europa ocupada. Uma guerra é uma tragédia para todos mas o que parece é que dentre os envolvidos com a Segunda Grande Guerra, quem se saiu melhor foram os judeus. Segundo as estimativas publicadas, menos de um milhão de judeus morreram de uma população europeia de onze milhões contando com os cinco milhões de judeus russos.
Os judeus são tão vitimas quanto todos que se envolveram neste embuste. Enfrentam em Israel um estado despótico e militarista, e, como muitos, sofrem com a política belicista de seus governos. Os judeus tradicionalistas que tentam desmascarar o poder sionista em Israel são perseguidos e silenciados.
Graças ao embuste do holocausto, os sionistas recuperaram o controle total da bancada internacional, domina alguns governos, têm uma influência notória na política externa de alguns países, começando pelos EUA, e passaram a atacar diretamente a liberdade de expressão a nível mundial. Mais de três milhões de judeus continuam a receber reformas de guerra da Alemanha.

Fonte: Verdade Oculta.

17 comentários:

Altamirando Macedo disse...

Estou lendo "A Invenção do Povo Judeu" escrito pelo judeu Shlomo Sand e percebo que o judaísmo não é uma raça, é uma filosofia de vida. O povo judeu foi formado em sua maioria por povos convertidos, originário de diversos pontos do meio oeste e da Europa Oriental. São apátridas.Dotados de inteligência, sempre revertem em bônus as adversidades, a começar pela religião.

Levi Bronzeado disse...

Miranda

Eu, consegui em um sebo o livro “Holocausto Judeu ou Alemão? ― A Mentira do Século”. Li e reli, mas o achei inverossímil. Inclusive ele continha muitas fotografias com detalhes, que na opinião do autor tinham sofrido montagens.

Esse livro desapareceu ou foi surrupiado de minha biblioteca.

Quem chegava à minha casa sempre me alertava: olha os livros desse autor foram recolhidos do país, e me aconselhavam que era muito perigoso guardá-lo entre os meus livros. Lembro-me de que era uma edição meio artesanal de uma editora do Rio Grande do sul.

O certo é que para o bem ou para o mal essa obra desapareceu de minha biblioteca, depois de algumas pessoas tomarem conhecimento da mesma.

Mas, pesquisando na Internet, encontrei um site que revela muito do que estava incluído na versão da editora gaúcha que não me lembro o nome.

O Link, para sua análise, segue abaixo:

http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/04/11/holocausto-judeu-a-mentira-do-seculo/

Elson Pacheco disse...

Discordo do texto apresentado sobre os Judeus, o texto quer desmentir o Holocausto, porém as imagens não deixam que ele minta parante os registros espostos para o mundo. Já os outros Holocaustos citados, aonde estão os fatos?

Altamirando Macedo disse...

Amigo Elson Pacheco,

O texto não tenciona questionar se houve ou não o holocausto. Ele reitera a dúvida se os judeus foram as principais ou únicas vítimas. Os fatos são os mesmos mas as identidades e o maior interesse é que muda sob a luz do tempo.
Por exemplo: Você acredita que foi Santos Dumont quem inventou o avião e que Thomas Edson a lâmpada elétrica. Não é?
Releia o texto, talvez se abra uma janela, quem sabe?

Altamirando Macedo disse...

Caro Levi,

Se roubaram seu livro deve ter sido algum Judeu Russo.Algum circuncisado freqüenta sua casa?
Se você lê algum depoimento dado durante o julgamento de Nuremberg perceberá muito fato inverossímil.Quantidade de mortos por dia, locais de execução, nacionalidade das vítimas. Lembre-se que a história foi contada por vencedores e a crueldade dos vencidos tem que superar sua violência.

Levi Bronzeado disse...

Miranda, o link que eu coloquei sobre o “Holocausto Judeu ― A Mentira do Século” em meu comentário é extremamente bem documentado e extenso, com vários vídeos.

Só que entrou um vírus “sionista” (rsrs), que não está permitindo o acesso ao mesmo.

Para ler esse importante documento, você tem que copiar o link que coloquei e digitá-lo no local de pesquisa do Google. Vê se consegue.

Altamirando Macedo disse...

Caro levi,
Sobre o site "
http://hebreuisraelita.wordpress.com/2012/04/11/holocausto-judeu-a-mentira-do-seculo/.

Gostei do depoimento e concordo com o autor, é possível manipular a história mas a matemática não!...
Publiquei este comentário na L&M pois a conversa está descambando para este assunto também.

Eduardo Medeiros disse...

Eu concordo que 6 milhões de judeus é um número elevado demais. Mas os 6 milhões viraram um símbolo da barbárie nazista; se foi de caso pensado ou não, e com que interesses, realmente não sei, ainda não me aprofundei no assunto.

Mas como o texto diz, claro que huve um holocausto judeu. E creio que os judeus também ficaram em evidência por que o número de ciganos, gays, negros e outras minorias mortas pelo nazismo não tinham o mesmo peso político e o mesmo peso numérico.

O que não pode é alguns babacas anti-semitas dizerem que não houve holocausto algum; que todos os filmes, fotos, documentos e documentários que exitem são embuste. Este sim, claramente, é um discurso ideológico; tão ideológico quanto o sionismo.

Fiquei esperando até que o autor do texto dissesse que "Os protocolos dos sábios de sião" fosse autêntico; mas ele não fez isso o que demonstra sua seriedade.

Altamirando Macedo disse...

Holocausto houve, mas um bando de embusteiros transformou em bônus a desgraça de outros.

Gilber†o Ângelo Begia†o disse...

Mirandinha Li aqui seu texto e vi também o site indicado pelo Levi e realmente é de se pensar nos números.

Existe sim uma supervalorização dos fatos.

Também não dá pra negar o holocausto mas valorizá-lo como se fosse o único realmente faz da história um faixa de gaza onde há Israel e o restante.

Belo texto corajoso fiquei muito impressionado por nunca haver questionado tal assunto.

Mel Gibson ofendera os judeus e sofreu muito com isso. Na verdade ele não ofendera mas resolveu peitá-los a agressão foi apenas um desabafo do que havia nos bastidores.

É impressionante mas este povo domina todas as áreas que imaginamos. São estrategistas.

Um livro bom de ler é antigo mais ótimos exôdus 1 e 2 vale a pena mostra como este povo se organiza de forma competente estrategicamente nas áreas em que pode dominar e manipular tudo.

Isso implica em dizer que por isso também são motivos de afrontas e Hitler os escolheu para perseguí-los não foi por questão de raças, os motivos foram com certezas outros $.



Altamirando Macedo disse...

Gilberto,

As histórias que ouvimos, nem sempre são as verdadeiras. Depende de quem as contam. Os judeus são inteligentes mas seu caráter sofre alguns desvios.Nunca foi raça muito menos o povo de Deus. Como são antigos, gozam desta autoridade.



Marcia Zaros disse...

A religião judaica é xenofóbica no seu fundamento tem uma "teologia da vingança"(o não-judeu é sempre o inimigo que eles chamam de gentio,goyn ou ímpio. Além da "teologia da vingança" , o narcisismo e o egocentrismo(se auto-intitularam escolhidos,preteridos e únicos representandtes do deus na Terra, se acham superiroes em tudo, é óbvio que esse narcisismo é uma grande ferramenta de controle mental como uma arma de ataque. Os judeus sempre viveram do comércio e da guerra(os dois pilares do capitalismo que fundaram). Nos escritos e conselhos dos rabinos que eu já li muito, essa teologia da vingança(é isso que significa os judeus famosos de hollywood e grandes políticos judes fazendo o sinal do V(paz e amor que não é,mesmo/ver genocídio árabe) muito explícita no AT e no Talmud(obra mias do que xenofóbia).O judaísmo mantém os seus seguidores sob total controle ritualístico(isso gera muitos comportamentos compulsivos e paranóia):acordar e deitar fazendo os rituais,como se vestir, o que comer e quando comer, controla a profissão, com quem vai se casar, etc.São rigidamente treinados para agirem rápido e simultâneamente, funcionam como uma colméia, construindo um EstadoParalelo por onde desejam tomar o poder(financeiro). Foi esse o motivo que levou o maluco do Hitler a perseguí-los. Mas na época embora fossem minoria na Alemanha eram a elite alemã(eles estavam subjugando o povo alemão) essa elite estava muito interessasa que a massa judaica convertida(mais pobres) fossem ocupar a palestina, então financiaram Hitler para ajudar a espantarem a massa judaica paraa palestina, verifiquem como a palestina já começou a ser invadida por eles(tenho fotos de medalahs/moedas com a suástica nazista de um lado e no outro a estrela judaico-sionista)antes da guerra eram eles na Alemfanha os grandes banqueiros e industriais a serviço não do páis mas do capital sem lastro do estado paralelo deles(uma espécie de Talassocracia-fazem isso em todos os países,inclusive no Brasil(eles são a nossa elite financeira,política, artística só promovem quem é judeu-façam uma lista de artistas,escritores,apresentadores de tv, jornalistas, grandes políticos, e as famílais mais ricas do setor industrial são todos judeus sionistas) esse é o verdadeiro motivo pela qual são lhes fechadas as fronteiras e não por preconceito religioso), e 6 anos antes da guerra(isso saiu em todos os grandes jornais) fizeram campanha internacional para os países boicotarem tudo que fosse Alemão(a birra deles era que o plano de Hitler era fechar o país para o capital estrangeiro, estatizar tudo).Chega de misticismo e covardia, chegade narcisismo e paranóia, vivemos num sistema capitalista predatória é só $$$$ que interessa pra essa elite as massas são cordeirinhos tolos pastoreados por lobos estategístas.
Como uma minoria pode subjugar a grande maioria sem que ela sequer desonfie? Uma minoria rigidamente organizada pode subjugar uma maioria desorganizada e imbecilizada, criando mitos, se fazendo de eterna vítima,acima de qualquer suspeita(são "perfeitos" "santos" e estão em eterna vingança, daí o controle pela religião).
Quando eu falei do modo de agir em colméia como abelhas(na idade média era o símbolo judaico a abelha e a colméia(vejam que a colméia é um hexágono(6 lados) , 6 lados o centro da estrela sionista)outra coisa o 6 é um número cabalístico muito importante para eles por isso os 6 milhões de judeus mortos,o sexto dia da semana(sábado) é sagrado..capitaram a relação?

Altamirando Macedo disse...

Marcia Zaros,

É um prazer tê-la aqui nesta humilde sala e espero outras visitas suas.
Concordo piamente com suas conotações sobre os judeus. Além do egocentrismo, convertem em bônus para si o sofrimento alheio. Eles não foram os autores do criacionismo mas tomaram para si a pretensão de serem filhos de Deus. São inteligentes e sabem como tirar proveitos de tragédias quando são envolvidos, ou não. Não acho que o Brasil seja alvo interessante, apesar da influência judáica na elite financeira. Na política, nas artes cênicas e na escrita talvez não. Nossos atores são de base esquerdista e atuam para uma platéia empobrecida e analfabeta. Nossos políticos são a fina flôr de uma escória social fruto de uma heterose que não deu certo; o cruzamento entre índios, negros e portuguêses. Nossos escritores continuam plagiando desconhecidos.
Uma minoria de lobos pode controlar um rebanho de cordeiros, sim. Mas corre o risco de ter sua identidade roubada. i

Davi Szpilman Youriwith disse...

Judeus são safados? lógico que são. O fato é que houve sim holocausto, e morreram 6.000.000 de judeus, só que vocês contrariam demais se baseando em números, encaram a logística de um campo de concentração como se fosse de uma fábrica normal. Ora, se num crematório 1 morreram 340, no 2 morreram 1400, e no 3 morriam 700, é porque não era uma coisa exata! eles jogavam ali corpos, ou seja, gente que já estava morta. Operavam os crematórios como podiam. Fora que chegam muitos trens lotados de judeus. Não sou de acreditar em tudo que contam, mas pelo amor de Deus, não se esqueçam que a Alemanha vivia sob um regime totalitário cruel, e que tinha como chefe de Estado o sádico de Hitler. Prestem atenção, não estou insinuando nada (que vocês que comentaram) são neonazistas ou que fazem parte de um grupo anti-semita, mas como já tinha dito, não sou alienado e tenho minha mente muito aberta sim, mas o que percebo é que as pessoas gostam de conspirar sobre tudo!

José Alberto disse...

Excelente e honesta análise. Os judeus usam a teoria nazista segundo a qual uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade. O holocausto judaico não existiu e se transformou apenas numa maneira de tomar dinheiro da Alemanha, em forma de indenizações. O que existiu foi o holocausto de todos os povos que sofreram com a II Guerra, inclusive o povo alemão. A análise é perfeita. Ninguém falou até hoje do holocausto das populações civis de Dresden, Hamburgo e outras cidades bombardeadas impiedosamente, muito além do necessário. Além disso a contabilidade realmente não fecha: simplesmente não havia 6 milhões de judeus em toda a Europa. Acho que os judeus poderiam parar com essa brincadeira de holocausto.

Nicolae Sofran disse...

Os covardes e mentirosos judeus mentiram o mundo todo desde 1945 até 1990, que os alemães "mataram 4 milhões" de judeus em Auschwitz, e de repente desde 1990 mentem ainda que foram só um milhão e meio! Se eles mesmos diminuíram a sua mentira com dois milhões e meio, como então foram mortos "6 milhões" de judeus?! E quem matou mais de 8 milhões de alemães na segunda guerra?!

Anônimo disse...

Não há nenhuma, nenhuma, mas nenhuma prova da existência do holocausto judeu. E os Protocolos até hoje nunca conseguiram provar serem falsos. Está precisando estudar, estudar de verdade.