domingo, 11 de julho de 2010

O todo criacionista deveria saber

Parte X - História Cristã

Jesus

Ele não nasceu em Belém, teve vários irmãos e sua morte passou despercebida durante o império romano. O judaísmo ortodoxo acredita que o Messias, enviado de Deus, será um descendente do rei Davi. O novo testamento qualifica Jesus como sendo este Messias e descendente de Davi. Porém é certo que José, esposo de Maria, pertence a casa de Davi mas Maria foi emprenhada pelo Espírito Santo e nem ele nem Maria eram descendentes de Davi, logo Jesus, também, não era descendente do rei Davi. Segundo a tradição judaica o genro se torna filho do sogro mas a nora, não. Sendo assim, nem por tabela, Jesus descende de Davi. Alguns deístas não acreditam que Jesus foi um Messias.
Mas afinal, quem era este Jesus!? A começar pela aparência: Baseados em estudos de crânios de judeus os pesquisadores dizem que a fisionomia de Jesus era parecida com a de um Árabe moderno. Em tempos turbulentos como o de hoje, ele teria dificuldades em passar pela alfândega de alguns aeroportos americanos ou europeus. Deve ter nascido em IV aC pois o calendário romano/cristão tem um erro de 4 anos, tampouco em 25 de dezembro em Belém, pois o mês de dezembro foi fixado em 525 depois dele. Há quase um consenso entre os historiadores que Jesus nasceu em Nazaré, um vilarejo pobre que na época tinha, no máximo, 400 habitantes e teria sido educado entre os essênios em Monte Carmelo ao norte de Israel.
A arqueologia demonstra que os essênios detinham a mesma prática e terminologia semelhante ao cristianismo. João Batista pregava o que foi escrito pelos essênios nos manuscritos do Mar Morto. A interpretação correta dos textos históricos e a arqueologia estão trazendo surpreendentes revelações sobre este Jesus histórico. Uma destas revelações pode estar contida numa pequena caixa cor de areia encontrada em Jerusalém com inscrição feita em língua e caligrafia de 2.000 anos atrás. Ao lê-la em aramaico, da direita para a esquerda, como a maioria das línguas semitas, está escrito inicialmente Yaakov Bar Yosef, ou seja: Thiago filho de José e continua: Akui Yeshua, irmão de Jesus.
A tumba ou cripta de Talpiot descoberta em 1980, comportava dez ossuários, cinco continham inscrições com nomes ligados ao novo testamento como Maria, José e Thiago. A inscrição Marianne seria uma referência à Maria Madalena. Centenas destas criptas foram descobertas em Israel e muitas em Jerusalém devido a expansão da construção civil. Para os arqueólogos os símbolos na entrada da cripta de Talpiot sugerem que as pessoas ali enterradas eram reconhecidas como sábias ou sagradas. O ossuário onde se lê Marianne é o mais decorado de todos, o que pode ser um símbolo de status. Sabe-se que este tipo de sepultamento só foi usado por volta do século I da era cristã.
Combinando a Bíblia com textos apócrifos e os ossuários de Talpot, arqueólogos propõe como hipótese, uma árvore genealógica naqual Jesus tem irmãos, esposa e até um filho chamado Judas. O DNA coletado nos ossos de Jesus e Marianne mostram que eles não eram irmãos da mesma mãe e, estatisticamente, a chance de se encontrarem por acaso na mesma tumba, é de 1 em 600.
A morte deste Jesus nada teve haver com expiação de pecados, ele morreu porque sua pregação o colocou em choque com o imperialismo romano

8 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Excelente! Pela leitura dos Evangelhos, não há dúvida que os discípulos de Jesus viram nele o messias e ele mesmo tomou para si tal missão. Nada muito espetacular, pois messias era o que não faltava naquele tempo pela palestina. Tinha lido sobre essas descobertas. Mas não se pode dizer que o Jesus ali, é o Jesus dos evangelhos. Aliás, Jesus-Josué era um nome comum.

abraços.

Mariani Lima disse...

Altamirando, vi seu comentário no blog do Isa e passei por aqui para conhecer melhor as suas idéias. Gostei muito dos textos e já estou seguindo . Muito bom mesmo!
Valeu por sua visita em meu blog.
Fique com Deus!

Altamirando Macedo disse...

Eduardo Medeiros, quem pode dizer que o Jesus alí não é o Jesus dos evangelhos?
Ossuários com inscrições de nomes ligados à história bíblica como Maria, José, Tiago e Jesus. É muita coincidência ou muita falcatrua?
Será que os ossuários são tão falsos quanto a história de seus personagens?
Mariani Lima, em tempo seu comentário logo no texto onde há citações à sua xará.
Abraços.

Edleuza disse...

Altamirando,
é por essas e outras que não se pode acreditar em tudo o que se ouve ou se lê, apenas respeitar o ponto de vista do outro e esperar que respeitem o nosso, sem julgamentos ou imposições... Nossa, como a vida seria mais leve e livre se as pessoas percebem isso!...
Um abração.

(Obrigada por suas visitas)

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Altamirando,

Ótimo texto. Caso não se oponho gostaria poder replicar num blogue que tenho e que trata de "cultura e religiosidade" (citarei a fonte).

Abraços.

Juci Barros disse...

Sempre muito bom vir aqui. Textos relevantes e deliciosos de ler.
Beijos.

Altamirando Macedo disse...

Eneias, em tempo embora tardiamente.É que estive ausente e sua presença é sempre um prazer. Pode replicar até aqui,se quizer.
Abraços.

Rodrigo Rocha disse...

Altamirando passei para conhecer seu blog ele é not°10,show, espetacular desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom