domingo, 28 de fevereiro de 2010

Um curral chamado Brasil

Estamos no país das supostas minorias onde há uma verdadeira minoria que produz, sem proteção ou lei alguma e com elevada carga tributária, gerando impostos para beneficiar uma real maioria que vota encabrestada e, por isso, recebe cesta básica, cheque cidadão, Pronaf, auxílio moradia, auxílio maternidade, bolsa escola e até o auxílio reclusão.
Isto quer dizer que nosso imposto financia o nascimento, alimenta, veste e aposenta o pária mesmo se ele for para a prisão por ter roubado e assassinado um filho nosso. Nós pagamos a conta, mas o mesmo direito não nos é assegurado. As leis são feitas por eles.
Estou escrevendo isto na mesma semana que assisto a uma reportagem acusando bancos oficiais de levarem a leilão pequenas propriedades rurais cujos donos não conseguiram saldar suas dívidas.
Eu disse: “bancos oficiais”. É o capitalismo! Este mesmo capitalismo que financia, a fundo perdido, os integrantes do MST a cometerem todos os tipos de violência no campo.A lei que rege a punição dos colonos, é a mesma que os torna inimputáveis quando são”companheiros”.

“ A hora mais escura é a que precede a aurora e esta hora, ainda não chegou”.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Os 10 mandamentos da auto destruição


Extraí estas citações do sumário do livro “As 48 leis do poder” de Robert Greene, editado pela Rocco com orientação para administração e negócio ao invés de autodestruição. Não li, nem aconselho ninguém a fazê-lo. Gaste seu dinheiro com algo proveitoso, mas se quiser arriscar esqueça tudo o lhe foi ensinado por seus pais e sua crença e bom proveito.

Selecionei 10 mandamentos que estão na seqüencia para você se tornar, com certeza, um:

1.Pária

2.Solitário

3.Mau caráter

4.Preconceituoso

5.Egoísta

6.Dissimulado

7.Tirano

8.Idiota

9.Hipócrita

10.Asno

São eles:

1. “Não ofusque o brilho do seu mestre”.

-Faça sempre com que as pessoas acima de você se sintam, confortavelmente, superiores. Não exagere seus próprios talentos. Faça com que seus mestres pareçam mais brilhantes do que são na realidade.

2. “Não confie demais nos amigos. Aprenda a usar os inimigos”.

-Cautela com os amigos, eles o trairão mais rapidamente pois são com mais facilidade levados a invejá-lo. Contrate um inimigo e ele será mais fiel que um amigo por ter mais a provar. Se você não possui inimigos, descubra um jeito de tê-los.

3. “Faça os outros trabalharem para você, mas sempre fique com o crédito”.

-Use a sabedoria, o conhecimento e o esforço físico dos outros em causa própria. Isto lhe ajuda a economizar tempo e dará uma aura divina de eficiência. No final seus ajudantes serão esquecidos e você será lembrado. Não faça você mesmo, o que outros possam fazer por você.

4. “Contágio. Evite o infeliz azarado”.

-A miséria alheia pode matar você. Estados emocionais são tão contagiantes quanto às doenças. Quando você ajuda um infeliz que se afoga, pode estar precipitando seu próprio desastre. Eles, às vezes, provocam sua própria infelicidade. Associe-se aos felizes e afortunados.

5. “Aprenda a manter as pessoas dependentes de você”.

-Faça com que as pessoas dependam de você para serem felizes e prósperas. Não lhes ensine o bastante a ponto de poderem se virar sem você.

6. “Ao pedir ajuda, apele para o egoísmo das pessoas, jamais para sua misericórdia ou gratidão”.

-Se precisar pedir ajuda a um aliado, não se preocupe em lembrar a ele sua assistência ou boas ações no passado. Ele irá ignorar. Revele algo em sua solicitação ou aliança que o beneficiará e exagere na ênfase. Ele reagirá entusiasmado se notar que pode lucrar com isto.

7. “Mantenha os outros em estado latente de terror, cultive uma atmosfera de imprevisibilidade”.

-Os homens são criaturas de hábitos com uma necessidade insaciável de ver familiaridade nos atos alheios. A sua previsibilidade lhes dará um senso de controle. Seja deliberadamente imprevisível, o comportamento que parece incoerente ou absurdo os manterá desorientados e eles vão ficar exaustos tentando explicar seus movimentos. Levada ao extremo, esta estratégia pode intimidar e aterrorizar.

8. “Faça-se de otário para pegar os otários. Pareça mais bobo do que o normal”.

-Ninguém gosta de se sentir mais idiota do que o outro. O truque, portanto, é fazer com que sua vítima se sinta esperta ou, mais esperta do que você. Uma vez convencida disto, ela jamais desconfiará que você possa ter segundas intenções.

9. “Evite manter uma forma definida.”

-Ao assumir uma forma você tem um plano definido e se expõe ao ataque. Mantenha-se maleável e em movimento. Aceite o fato de que nada é certo e nenhuma lei é fixa. A melhor maneira de se proteger é ser tão fluído e amorfo como a água. Não aposte na estabilidade ou na ordem permanente. Tudo muda.

10. “Evite seguir as pegadas de um grande homem”.

-O que acontece primeiro parece melhor e mais original do que o que vem depois. Se você substituir um grande homem ou um pai famoso, terá de fazer o dobro do que eles fizeram para brilhar mais do que eles. Não fique perdido na sombra deles ou preso a um passado que não foi obra sua. Estabeleça o seu próprio nome e identidade mudando de curso. Mate o pai dominador, menospreze seu legado e conquiste o poder com sua própria luz.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

O paralelismo do nosso universo


Em nossa concepção os eventos são lineares, acontecem em fila, um após o outro. Isto porque estamos regidos pelo tempo e ele não é causa nem efeito, apenas uma medida de duração do movimento dos corpos num espaço. Espaço é a distancia entre dois ou mais pontos e para que se possa medir o tempo neste, é necessário haver matéria. Este espaço-tempo é medido por nós exclusivamente para nós. Um dia só é um dia e tem vinte e quatro horas no nosso espaço gravitacional e tridimensional da terra. O correlacionamento entre espaço, tempo e peso é exclusivamente nosso e aqui no nosso habitat. Nossas medidas tem suas equivalências como exemplo: ao nível do mar e a quinze graus centígrados de temperatura, a aresta de um cubo que acomoda mil litros de água, mede exatamente mil milímetros e esta água acomodada pesa mil quilos.
Como a terra forma uma circunferência ao longo da Linha do Equador, fato ainda não desmentido pela inquisição católica, foi determinada outra equivalência espaço-tempo, a hora, o metro e a divisão da circunferência em graus, minutos e segundos. Conhecemos somente três dimensões.
Todas estas equivalências são obsoletas fora da estratosfera. Lá uma hora não é uma hora, um quilo não é um quilo e um metro dispensa comentários.
Algumas instituições científicas e alguns pensadores que usam boa parte do primeiro décimo da sua capacidade intelectual já estão preocupados com o nosso próximo futuro evento. O colapso de todo o sistema global. Fala-se muito das pesquisas feitas no afã de obter energia fora do nosso espaço-tempo, o cosmo. Estudam a energia escura, que é bem mais forte que a clara (luz solar), como aproveitar a energia gravitacional sabendo que ela é a única força conhecida que deforma o espaço e o tempo. Será possível usar a força da gravidade para fazer viagens ao tempo? Por qual caminho? Buracos de minhocas num universo curvo? E sobre a existência do universo paralelo, qual a sua fonte de energia? Seus eventos também são lineares e vão para o futuro assim como o nosso? E se forem de mão dupla, ora para o futuro, ora para o passado? E se conhecermos outras dimensões? São tantas as perguntas.
Acho que já está na hora de usarmos nossa inteligência adormecida durante séculos de submissão e começarmos a ter noções de grandezas. Está na hora de deixarmos de pedir a outrem que façam por nós e assumir responsabilidades.
A natureza tem suas razões por haver criado castas com capacidades intelectuais diferentes. Vivemos como se existissem trilhos a serem seguidos com certo paralelismo só que com velocidades diferentes.
Existe um ínfimo número de humanos que raciocinam com extrema velocidade e acreditam que podem descobrir maneiras de melhorar nossa existência. São cientistas, médicos, engenheiros e existem outros que viajam a velocidades menores e executam, aproveitam e muitas vezes até ajudam a melhorar estas descobertas. São os que acreditam no futuro e tem a mente aberta ao conhecimento. Mas uma esmagadora maioria se esqueceu de evoluir e continua sem fazer uso do intelecto. Suas crenças são lendas improváveis que ditam seus comportamentos e determinam suas reações emocionais.Se põem imóveis sobre os trilhos da evolução, cultuam o passado e temem um catastrófico futuro. Não sabem que um é conseqüência do outro e não aprenderam que a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo. Não sabem, não procuram saber e odeiam quem sabe. Formam um universo paralelo com outras filosofias e outros procedimentos levando-os do nada a lugar nenhum. Negam a participação neste contexto porque já se julgam inquilinos de um paraíso após sua morte,confirmando a teoria de que é mais fácil crer do que pensar.

Distração


O Bernardo era um jovem Geólogo que prestava serviços para uma multi-nacional em regime de folgas no interior do estado, era casado com Helena, formavam um casal bonito e apaixonado. No entanto, por culpa da sua alta taxa de testosterona, o Bernardo gostava de pular a cerca.

Numa destas folgas programada para sexta feira, o Bernardo, via telefone, combina o final de semana com uma tremenda gata. E não deu outra! Bernardo lavou a égua.

Às 11:00 da manhã de domingo, chegando em frente ao edifício onde mora, Bernardo reconhece Helena

acompanhada da mãe, sua sogra, saindo pela portaria do prédio. Ele estaciona o carro na calçada e com cara de cachorro sem dono beija Helena, perguntando:

-O que houve? Vim às pressas para o almoço na casa da sua mãe. Porque ela está aqui?

Helena passa a mão pela cintura de Bernardo e chorosa responde:

-Minha mãe passou mal e ontem eu a trouxe comigo. Agora ela está ruim de novo e eu estou indo para o hospital com ela.

O Bernardo, afável, se interessa:

-Mas... o que ela sente?

É a velha quem responde balbuciando:

-Dói tudo, até os dedos dos pés.

O Bernardo, já conduzindo as duas para seu carro, retruca:

-Doença de sogras. Deve ser leptospira ou toxoplasmose, vamos a um especialista.

Seguem rumo ao hospital;

Bernardo conduzindo, Helena ao seu lado e a velha, refestelada no banco trazeiro como se estivesse em sua casa. Em dado momento, o Bernardo vê um sapato tipo Anabela entre seu banco e o da Helena, bem ao lado do freio de estacionamento. Deu ¨um branco¨ no Bernardo e seu coração foi de zero a cem em dois segundos. Tentou manter a calma e deu um pequeno golpe no volante dizendo para Helena:

-Acho que temos um pneu furado. O carro está balançando, vou aguardar o próximo sinal vermelho e aí você abre sua porta e, sem sair, verifique os pneus do seu lado, tá?

E assim fizeram. Enquanto Helena se curvava para verificar os pneus, o Bernardo, rapidamente, trocava o sapato de lugar, podo-o entre seu banco e a porta. O sinal muda de cor, dando pista livre para Bernardo, enquanto Helena fecha a porta dizendo:

-Do meu lado, está tudo azul com bolinhas da mesma cor.

Bernardo continua tenso, com respiração ofegante e diz:

-Então o problema está do meu lado. Vou verificar, no próximo sinal.

Bernardo parou no sinal, abriu a porta e esmagou o sapato com a mão direita e a língua entre os dentes jogando-o sob o carro. fechou a porta e sem uma palavra segurou o volante com as duas mãos. Pôe fim ao filme de terror que passava em sua mente e sem se aperceber dá um longo suspiro. Helena, sem entender, comenta:

-Há algum problema?

Bernardo solta o resto de ar dos pulmões e diz:

- Não. O que poderia ser já foi sanado.

Chegando ao hospital são recebidos por familiares, que já os aguardavam, enquanto Helena tenta ajudar sua mãe a sair do veículo e encontrando resistência, retruca:

-Mãe...Essa não!. Medo de médico, agora, não!..Não e não.

A velha responde para a filha:

-Não é nada disso. Posso estar com leptospirose,toxoplasmose ou seja o diabo que fôr, mas doida não.

Cadê o meu sapato?

Ninguém viu a cara do Bernardo.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Férias?

Também estive algum tempo ausente, mas... Sem ser apercebido. Neste período li as duas últimas pérolas de Richard Dawkins, A grande história da evolução e O maior espetáculo da terra. Também li alguma coisa sobre os dois maiores achados arqueológicos do século xx, Ardi e os Manuscritos do Mar Morto. Reiterei minha convicção ao evolucionismo e folgo pela inteligência ascendente.

Toda a história da evolução está contida em museus e exposta a visitas. Os pergaminhos de Qumrám, também.

Os manuscritos confirmam a idéia de que o criacionismo é fruto da imaginação de um grupo de nômades, rebeldes espirituais, que habitavam uma região distinta, tinham o Aramaico como língua, regras características como leis e se achavam criaturas de um único Deus exclusivo e de curto reinado. Seus mestres de justiça como Jesus, João Batista e os próprios Essênios, afirmavam insistentemente que o reino de seu Deus estava próximo. Legitimando as palavras de Plínio (o velho) e Flávio Josefo, há 2000 anos.

Nasci no século xx, não sou Macabeu, não sou Fariseu, não sou Saduceu, muito menos Essênio e não tenho uma gota de sangue Judeu. Portanto acredito que quando Caim foi expulso do Paraíso ele tenha se casado com uma descendente de ARDI que caçava com arco e flexa, cuidava de cabras, criava galinhas e sabia ler.