sábado, 8 de maio de 2010

O que todo criacionista deveria saber

Parte III - Formação das Sociedades

A) Do Médio Imperio ao Cristianismo

2.200 aC – Os Príncipes de Tebas fundaram a XI Dinastia dos Mentuhotep dando início ao Médio Império que durou de 1.938 a 1.600 aC com capital em Tebas. Dá-se o apogeu da civilização do Vale do Indo com mais de 1.500 vilas e com algumas cidades amplas, bem planejadas com sistemas de drenagem e prédios sofisticados.

1.300 aC – Início da XIX Dinastia denominada Ramséssida fundada por Ramsés I que prosseguiu com seu filho Seti I e seu neto Ramsés II (O grande). Sob a égide destes dois monarcas o Egito prosperou e conheceu um esplendor inimaginável. As campanhas militares sucederam-se e o Egito se tornou a primeira potência do Médio Oriente e norte da África. Com a morte do filho de Seti II, Siptáh (1.193/1.187aC) extingue a linha dos Ramséssídas e finda a XIX Dinastia.

945-712 aC – A XXII Dinastia Egípcia demarca o início da decadência do novo império. Dos dez reis que governaram o Egito durante esta dinastia, seis eram Líbios e fizeram gastos militares excessivos arruinando o Egito. Em 620 aC dá-se a queda de Babilônia com seu rei Nabucodonosor. Babilônia que nos deu a matemática, a astronomia e a torre de Babel. Dá-se, também, o fim de Harapa e a Índia retaliada. Surge em cena o modelo político que anarquiza o país até hoje.

520 aC – A XXVII Dinastia Egípcia foi a dinastia naqual o Egito foi anexado ao gigantesco Império Persa da Dinastia Aquemênida pelo então Faraó Cambises II que herdou do seu pai, Ciro II, um império jamais visto.

380 aC – A XXX dinastia é considerada a ultima Dinastia Egípcia pura a reinar sobre as terras do antigo Egito e também foi a ultima a manter o Egito como uma entidade independente,

332 aC – Alexandre, o grande, toma o Egito sem luta e inicia o período Macedônico que dura até 304 aC.

A história do Egito faraônico deveria ter terminado em 332 aC, quando o País foi conquistado pelos Gregos ou em 30 aC quando teve seu ultimo Faraó. Mas o Egito faraônico só termina quando o Basileu Bisantino Justiniano mandou fechar, em Filae, o ultimo templo de Isis e da religião original dos Egípcios em 550 dC. É neste período que a Núbia pagã se converte ao cristianismo.

O cristão Egípcio denominado Copta tem suas próprias interpretações da Bíblia, identificam Jesus como Deus não como trindade, possuem seu patriarcado em Alexandria. Igreja que nasceu da pregação de Marcos, o santo. Já em 642 dC os muçulmanos conquistaram o Egito e trouxeram consigo o islamismo. Os muçulmanos não forçaram a conversão dos Egípcios, mas beneficiaram os que seguiam Maomé com baixos impostos.

Poucos Países no mundo possuem uma história tão complexa e interessante quanto o Egito que foi faraônico, Greco-Romano e Muçulmano.

7 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Excelente o conjunto da postagem. Mas será que ainda existe cristão mesmo fundamentalista que tenha um pingo só de informação que creia que a terra tem 6 mil anos?

Altamirando Macedo disse...

Eduardo Medeiros, o cristão que afirmar que a terra é oito dias mais velha do que as gerações dos israelitas ou do patriarca Adão, está simplesmente afirmando, também, que a Bíblia é um rosário de mentiras.Concorda?

Juci Barros disse...

Uma verdadeira enciclopédia!
Quanto ao comentário que deixou , bem, alma suja talvez não, mas, dias confusos.
Beijos Altamirando.

Juci Barros disse...

Tem um carinho pra você lá no blog. Beijos.

Edleuza disse...

Oi, Altamirando,

bom texto!

Um abraço!

Carlos H. disse...

Eduardo,

Se tais criacionistas existem?

Dá uma olhada no que diz o site da sociedade criacionista Brasileira: www.scb.org.br.

Vá ao menu Curiosidades -> Perguntas Frequentas e divirta-se.

Fabrício Santiago disse...

Altamiro, to adorando seu blog.